Visita da Arquitetura-UFRGS ao Distrito C (1º Sem 2017)

Economia Criativa, Patrimônio Histórico

A professora Ana Elísia da Costa, do curso de Arquitetura/UFRGS, está desenvolvendo com seus alunos um projeto no entorno da Praça Florida e Escola Municipal de Ensino Infantil Meu Amiguinho no primeiro semestre de 2017. Como forma de aproximá-los da área de intervenção eles fizeram uma visita ao Distrito C, de bicicleta, no sábado, dia 31 de março de 2017, pela tarde.
Visitamos locais do Distrito C e patrimônio histórico, com a ajuda do arquiteto Lucas Volpatto, do Studio 1 Arquitetura, participante do Distrito C.
Fotos: Lucas Volpatto e Ana Elísia Costa.
Conheça mais sobre a Praça Florida no site da UrbsNova.

CC100

Cervejaria Bopp-Shopping Total

Tempero Rosa.

Anúncios

Encontro Distrito C na Cantina Famiglia Facin (28/12/2015)

Economia Criativa

Mais um Encontro Distrito C foi realizado em 2015. Desta vez na Cantina Famiglia Facin, um dos participantes do Distrito C, um restaurante diferente, localizado nos subterrâneos da chaminé da antiga Cervejaria Continental, hoje pertencente ao Shopping Total.

Entrada entrada2

Endereço: http://www.famigliafacin.com.br

Os encontros são abertos, portanto, incluem amigos do projeto e qualquer pessoa que queira entrar em contato e conhecer mais o projeto e seus participantes. Podem convidar quem quiser.

O antepasto na Famiglia Facin é por quilo e está no valor de R$ 9,80 cada 100 gramas, pois são somente produtos importados. Os pratos do menu são bem mais em conta, variando de 30 a 50 reais.

Começou às 19hs, e oficialmente terminaria às 20:15, mas ficamos até as 23:30.

O local é muito especial , como podem ver pelas fotos  e o Rodrigo vai mostrar os subterrâneos para quem ainda não conhece.

mesas mesas1 tunel

A Cantina Famiglia Facin participa da nossa linha de inovação gastronômica no Distrito C e é um dos locais onde se pode provar a nossa caipirinha de butiá. O Rodrigo Facin, proprietário, vai oferecer caipirinha de butiá a preço bem camarada para quem for neste encontro.

caipirinha

Esse encontro foi também a nossa confraternização de final de ano.

Esse encontro também foi publicado no Meetup:
http://www.meetup.com/pt/Encontros-Distrito-C/events/227610169/

FOTOS DO ENCONTRO DISTRITO C

Estiveram presentes os seguintes participantes do Distrito C:
Lota Moncada;
Barbara Benz;
Moacir Chotguis;
Rodrigo Cury e Martina Seibel (Preza Óculos de Sol)
Viviane Bergmann (CasaEstúdio Interiores)
Jorge Piqué (UrbsNova/Distrito C)
André Venzon (André Venzon Atelier)
Altair Nobre (Revista Beer Art)
Estiveram presentes também os amigos do Distrito C. Luciana Marson Fonseca e Ilsa Solka.

4LotaMoncada 2LotaMoncada 3LotaMoncada  5LotaMoncada 7LotaMoncada

20151228_200815

Calendário 2016, com poemas de Lota Moncada.

20151228_200732

Famosos antipasti da Cantina Famiglia Facin.

20151228_195342 20151228_195359 20151228_195435 20151228_195438 20151228_195459 20151228_195554 20151228_195625 20151228_195716 20151228_212301 20151228_212336 caipirinha parcial

Josep Piqué fala sobre o Distrito Criativo

Barcelona, Economia Criativa, Economia do Conhecimento

No dia 14 de outubro de 2015, na Câmara Municipal de Porto Alegre, Josep  Piqué, que foi durante anos o responsável principal pelo Projeto 22@, em Barcelona, proferiu a palestra “Um novo modelo de cidade –  A experiência de Barcelona no Projeto @22” (notícia no site da CMPA).
Piqué foi de 2007 a 2012 CEO da empresa público-privada 22@Barcelona, uma sociedade que geria o planejamento urbano, infraestruturas e desenvolvimento econômico no Distrito de Inovação 22@.

561ee0e0594f19.24848311 561ee0ad9bd5e9.14913059
Fotos Ederson Nunes / CMPA.

A vinda de Piqué a Porto Alegre, trazido pela PUCRS, teve a função principal de inspirar o novo projeto para o 4º Distrito em Porto Alegre.

Um dia antes da Palestra, Piqué visitou alguns participantes do Distrito Criativo de Porto Alegre, conduzido pelo arq. Lucas Volpatto, do Studio1, também participante do Distrito C.

12179519_1077009145656865_1383163379_n(2)

Josep Piqué no Studio Q. Foto Lucas Volpatto.

Josep Piqué na Casa de Bernarda Alba.

Na Casa de Bernarda Alba. Foto Lucas Volpatto.

12165726_1073096009381512_1256152783_n

Na Galeria Bolsa de Arte. Foto Lucas Volpatto.

11997269_1073095816048198_984862139_n

No Estúdio Hybrido. Foto Lucas Volpatto.

No Vila Flores, com Lucas Volpatto, do Studio 1, que levou Piqué pelo Distrito C.

No Vila Flores, com Lucas Volpatto, do Studio 1, que levou Piqué pelo Distrito C. Foto Pablo Urquiza Chaves.

IMG_0387

No Ato Espelhado. Foto Pablo Urquiza Chaves.

Durante a palestra, o Distrito Criativo foi mencionado dentro de um contexto de valorização da cultura e da economia criativa em projetos territoriais de tecnologia e inovação.
Este arquivo mostra estes trechos de áudio, com algumas fotos ilustrativas.

Áudio completo da palestra, com discussão ao final (duração: 2 horas)
http://radio.camarapoa.rs.gov.br/publicas/1407

Leia também a entrevista de Josep Piqué à Zero-Hora.

Mais Informação sobre o Distrito Criativo de Porto Alegre:
https://distritocriativo.wordpress.com/

Mapa geral

O Distrito Criativo é um projeto de UrbsNova | Agência de Inovação Social:
http://urbsnova.wordpress.com/

Mais informação sobre as Fábricas de Criação de Barcelona:
https://distritocriativo.wordpress.com/2015/10/06/fabricascriativas-bcn/

Josep M. Piqué é atualmente:
– Presidente-executivo de La Salle Technova Barcelona
Vice-presidente de IASP – International Association of Science Parks and Areas of Innovation
Vice-presidente da Asociación de Parques Científicos y Tecnológicos de España (APTE)
Presidente da Red de Parques Científicos y Tecnológicos de Catalunya (XPCAT)
Presidente do Science and Technology Council (CTECNO)

Contato: jorgepique@gmail.com
Criação do material: UrbsNova Agência de Design Social
Fotografia de Josep Piqué na Câmara Municipal: Ederson Nunes / CMPA

Agradecimentos
UrbsNova agradece à Câmara Municipal de Porto Alegre pela realização da palestra  e e à Rádio Câmara pela divulgação pública do áudio integral, do qual selecionamos alguns trechos.
http://camarapoa.rs.gov.br/
http://radio.camarapoa.rs.gov.br
E agradecemos em especial a Josep Piqué por ter aceitado nosso convite para visitar o Distrito Criativo de Porto Alegre.

Tour Piano Livre no Distrito Criativo

Economia Criativa

Para divulgar o projeto Piano Livre e promover um maior contato com todo um território de Porto Alegre, a produtora Mata Hari e UrbsNova organizam um passeio pelo Distrito C, no dia 18 de dezembro de 2014.

Veja no final da página mais informações sobre o Piano Livre no Distrito Criativo.

O piano foi levado por um caminhão Chevrolet, ano 1927.

Caminhão Chevrolet, ano 1928. Proprietário Rodrigo Mario Ruiz.

Caminhão Chevrolet, ano 1928. Proprietário Rodrigo Mario Ruiz.

Acompanhou o piano livre mais um carro antigo.

Ford Modelo A, ano 1930. Proprietário  Felipe Kwiecinski Fernandez

Ford Modelo A, ano 1930. Proprietário Felipe Kwiecinski Fernandez

Trajeto

Seguimos pela Rua São Carlos em direção norte. Percorremos principalmente ruas no interior do bairro Floresta e Independência, onde se situam os participantes do Distrito Criativo, como por exemplo, R. Visconde de Rio Branco, R Conde de Porto Alegre, R. Félix da Cunha, R. Dr. Timóteo, R. Câncio Gomes, R. Barros Cassal, R. Gonçalo de Carvalho, R. Ramiro Barcelos, etc.
Passamos em parte por três avenidas mais movimentadas: Av. Farrapos, Av. Cristóvão Colombo e Av. Independência.

 Trajeto do Tour Piano Livre no Distrito C

Veja o roteiro com detalhes no Google Maps:

https://www.google.com/maps/d/edit?mid=zO2ZWcBVkhgs.kDVWxYqugAos

Paramos em frente a alguns participantes do Distrito Criativo, que são em geral, ateliers de artistas, galerias de arte, antiquários, brechós, lojas de decoração, restaurantes, cafeterias, escolas de artes, etc.

Tour Piano Livre no Distrito C

Pianistas

Lilian Ferrari, Alexandre Alles, Francisco Marshall, Heloísa Marshall e Germano Rocha.

Fotos

Saída Hostel

Em frente ao Brechó Balaio de Gatos

20141218_164508

Em frente a La Casa de Bernarda Alba

11109_822225727842240_736594497160288159_n

Em frente à Galeria Bolsa de Arte

Em frente ao Noventamil

1891172_10204526890886013_128165041550275695_n

Em frente ao Studio Insonia a ao Tempero Rosa

Em frente a Padaria e Confeitaria Dalmás

20141218_173558

Em frente aos antiquários Naida Gomes e Garimpo

Em frente ao La Casa de Pandora

20141218_175235

Em frente ao Caixa de Elefante (Mario de Beneti) e à Carol W

Em frente ao CC100

10846404_676175559163160_3006569069094091283_n Foto Jorge Volkmer

Em frente ao Tanguera

 

Fotos de Germano Rocha no Facebook

Vídeos

Pianista se aquecendo para o Tour Piano Livre no Distrito Criativo de Porto Alegre – 18/12/2014 (Bruna Goulart)

Blues Piano e Ambulância, vídeo de Germano Rocha (facebook)

Largada do Tour Piano Livre no Distrito Criativo de Porto Alegre – 18/12/2014 (Bruna Goulart)

Em frente ao Studio Insonia, vídeo de Germano Rocha (facebook)

 Reportagens

Recortes de Viagem, por Rosane Tremea (ZH Blogs)

Tour Piano Livre no Distrito Criativo
Ficha Técnica

 Evento no Facebook

https://www.facebook.com/events/803309003048046

 Página

 https://distritocriativo.wordpress.com/2014/12/16/tour-piano-livre-no-distrito-criativo/

Organização e Realização

Projeto Piano Livre
https://www.facebook.com/pianolivrepoa
Direção: LILIAN FERRARI e ALEXANDRE ALLES
Produção: FRANCISCO MARSHALL  e MARIANA MORAGA
Comunicação: JULIANA LIMA
Design gráfico: CAROLINE CANTELLI  e GABRIEL SACKS
Fotografia:  FÁBIO ALT
Manutenção dos Pianos: PERSON PIANO
Financiamento: Secretaria de Estado da Cultura

Projeto Distrito Criativo de Porto Alegre
https://distritocriativo.wordpress.com
UrbsNova Porto Alegre – Barcelona | Agência de Inovação Social

Apoio

Porto Alegre Hostel Boutique

Veteran Car Club do Brasil-RS

Agradecimento especial aos proprietários de carros antigos:

Rodrigo Mario Ruiz, Valdir Ferraz de Abreu e Felipe Kwiecinski Fernandez.

Piano Livre no Distrito Criativo

O Projeto Piano Livre recentemente distribuiu 10 pianos em pontos significativos de Porto Alegre, como Rodoviária, Usina do Gasômetro, Restinga, etc., onde vão permanecer por cinco meses, à disposição, “livres”, para todos que quiserem tocar.

Um dos pianos livres está localizado no Distrito Criativo. O Distrito Criativo de Porto Alegre (Distrito C) é um projeto de desenvolvimento de um polo ligado à economia criativa com revitalização urbana, envolvendo quase 70 artistas e empreendedores.

Piano Livre no Distrito C. Na R. São Carlos, esquina com R. Gaspar Martins.

Piano Livre no Distrito C. Na R. São Carlos, esquina com R. Gaspar Martins.

Piano Livre no Distrito C. Na R. São Carlos, esquina com R. Gaspar Martins.

Piano Livre no Distrito C. Na R. São Carlos, esquina com R. Gaspar Martins.

O Piano Livre do Distrito Criativo foi pintado pelos artistas Victor Nievas e Barbara Benz, participantes do projeto Distrito C.

Mapa geral

Localização do Distrito Criativo.
Mapa interativo no Google Maps

 

Distrito C no Seminário Espaço Público e Cidadania (UCLG)

CGLU, Economia Criativa, Economia da Experiência, Economia do Conhecimento, Memória

flyer-logo-pt16-09-2014

De 27 a 29 de Outubro de 2014, foi realizado, em Porto Alegre, o evento em rede “Espaço Público e Cidadania” pela organização internacional  CGLU, Cidades e Governos Locais Unidos, com sede em Barcelona, como parte dos trabalhos da Comissão de Planejamento Urbano Estratégico, presidida pelas prefeituras de Porto Alegre e Durban, na África do Sul. O evento foi organizado em parceria com a Gerência de Relações Internacionais, da Secretaria de Governança Local.

O objetivo foi  “conhecer e ampliar estratégias de desenvolvimento e atuação no espaço público, como parte da gestão das cidades. A dinâmica proposta conta com a apresentação de práticas locais e internacionais, as quais alimentarão o debate e a troca de conhecimento. O fortalecimento deste tema nas agendas dos governos locais soma-se aos esforços mundiais em direção a Conferência do Habitat III das Nações Unidas, a realizar-se em 2016.”

Visita ao Distrito C

No primeiro dia do evento, dia 27 de outubro, levamos um grupo de participantes para conhecer umas das práticas locais, o projeto Distrito Criativo, desenvolvido pela UrbsNova – Agência de Design Social.

O passeio começou na r. Gonçalo de Carvalho e terminou na Av. Farrapos, em frente a R. Paraíba, onde se encontra uma unidade de triagem de resíduos sólidos, criada pela prefeitura, que havia sido visitada pela manhã.

Os integrantes do grupo visitante eram do Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Alemanha, Espanha, Colômbia e Moçambique.

Durante o passeio foram observadas questões como importância das praças, do patrimônio histórico e ambiental, arte urbana, memória dos antigos moradores, economia criativa e revitalização urbana.

As questões discutidas durante todo o evento, sobre como dar vida a espaços públicos, fazendo deles verdadeiros lugares, com identidade própria, foram muito importantes para esclarecer essa linha de ação do nosso projeto.

Abaixo algumas fotos do passeio.
Fotos  de Adriana Marchiori – Assessoria de Comunicação/SMF – adrianam@smf.prefpoa.com.br

1. Saída em frente a Federasul, no Palácio do Comércio (Centro Histórico), e deslocamento.

espaçopublico_cidadania_5distrito-2

espaçopublico_cidadania_5distrito-3

2. Início do passeio na r. Gonçalo de Carvalho, com suas belas tipuanas, rua que faz a fronteira entre os bairros Independência e Floresta.
O Distrito C tem participantes em ambos os bairros.

espaçopublico_cidadania_5distrito-4

espaçopublico_cidadania_5distrito-5 espaçopublico_cidadania_5distrito-8 espaçopublico_cidadania_5distrito-9 espaçopublico_cidadania_5distrito-10

3. Visita à antiga Cervejaria Bopp, depois Continental e Brahma, e desde 2004, parte do Shopping Total.

espaçopublico_cidadania_5distrito-18

espaçopublico_cidadania_5distrito-17

espaçopublico_cidadania_5distrito-12 espaçopublico_cidadania_5distrito-13espaçopublico_cidadania_5distrito-19espaçopublico_cidadania_5distrito-20

4. O grupo visitou o brechó Balaio de Gato, participante do Distrito C.

espaçopublico_cidadania_5distrito-23

5. Encontro com o artista urbano Xadalú, participante do Distrito C.

espaçopublico_cidadania_5distrito-21 espaçopublico_cidadania_5distrito-22

6. Conjunto de casas antigas que formam o ambiente da r. São Carlos. Mora em uma delas o poeta Ricardo Silvestrin e em outra está o Brechó Bajestero, ambos participantes do Distrito C.

espaçopublico_cidadania_5distrito-26espaçopublico_cidadania_5distrito-25

7. Visita a Praça Florida, um dos principais espaços públicos no território do Distrito C e que queremos tornar um espaço de maior participação.

espaçopublico_cidadania_5distrito-27

8. Visita ao Vila Flores, participante do Distrito C.

espaçopublico_cidadania_5distrito-42espaçopublico_cidadania_5distrito-29espaçopublico_cidadania_5distrito-28  espaçopublico_cidadania_5distrito-30

espaçopublico_cidadania_5distrito-34 espaçopublico_cidadania_5distrito-31 espaçopublico_cidadania_5distrito-32

9. Conversa informal com o coletivo Casa Grande, um projeto sobre arte negra.

espaçopublico_cidadania_5distrito-35

Michele Zgiet, do grupo Casa Grande.

espaçopublico_cidadania_5distrito-38 espaçopublico_cidadania_5distrito-36  espaçopublico_cidadania_5distrito-40 espaçopublico_cidadania_5distrito-41

10. Encontro na rua com o Seu Aldo Rossato, de 84 anos, que sempre morou no mesmo local, memória viva desse território. Infelizmente, Seu Aldo faleceu poucos meses depois desse encontro.

espaçopublico_cidadania_5distrito-43

11. Em frente à antiga Importadora Americana, um grande prédio, que ficou muitos anos inativos e que começou recentemente o processo de recuperação.

espaçopublico_cidadania_5distrito-47

Grupo de Moçambique.

espaçopublico_cidadania_5distrito-44espaçopublico_cidadania_5distrito-49 espaçopublico_cidadania_5distrito-46

12. Na r. Sete de Abril, desde a Importadora Americana, se vê o antigo Moinho Germani.

espaçopublico_cidadania_5distrito-50

Infelizmente pelo tempo limitado da visita, não pudemos mostrar os demais participantes do Distrito C.

Apresentação do Distrito C em painel do Seminário Espaço Público e Cidadania

Durante os dias seguintes uma série de apresentações e painéis discutiram diversos aspectos do espaço público.

Abertura do seminário, realizada pelo prefeito José Fortunati.

abertura

Notícia sobre o Seminário Espaço Público e Cidadania.

Apresentação do Projeto Distrito C, por Jorge Piqué, da UrbsNova.

Durante a apresentação mostramos a localização desse território criativo e de alguns participantes. Neste caso, se trata de um projeto que conecta espaços privados de economia criativa, do conhecimento e da experiência, com os espaços públicos, no seu entorno, como rua, praças, etc.

Foto: Àlex Giménez Imirizaldu (CCCB, Barcelona)

Publicações

Em razão do evento foi publicado em outubro de 2014, em português e inglês, o documento Espaço Público e Cidadania.

Documento em português

Documento em inglês

Abaixo, trecho sobre o Distrito C, na tradução para o inglês da publicação.

Distrito C em Ingles

A Casa da Floresta, de Augusto Meyer

Memória

Em 26 de agosto de 1945, Augusto Meyer (Porto Alegre 24/01/1902 – Rio de Janeiro 10/07/1970) publicou  no Jornal Correio da Manhã, do Rio de Janeiro, uma crônica com lembranças da sua infância no bairro Floresta, em Porto Alegre, chamada A CASA DA FLORESTA.

Tinha, portanto, 43 anos quando escreveu este texto, que reproduzimos abaixo (clique para ampliar).
Se imaginarmos que essas memórias em estilo proustiano, segundo Paulo Bungart Neto, eram dos seus 10 anos, deviam se referir aos anos de de 1912-15, ou seja, 30 anos antes, no mínimo.

Este post integra a linha de ação Memória Viva do Distrito Criativo, que tenta recuperar por fotos, vídeos e textos as lembranças dessa parte da cidade.
É muito importante para o Distrito Criativo esse contato com o passado da região, só assim teremos propostas melhores para o seu futuro.

A Casa da Floresta, de Augusto Meyer, 1945Alguns anos mais tarde, em  1949, o texto foi publicado como “O menino da Floresta”, terceiro
capítulo do livro “Segredos da Infância”  (Porto Alegre: Editora Globo. 1ª ed. 1949)

Ainda não havíamos enveredado pelo caminho da escola. Acordar de manhã, ouvindo o canto dos passarinhos nas laranjeiras do quintal, vendo o fogo do sol nas cortinas claras da janela, era reatar o mesmo sonho acordado, ir ao encontro das puras sensações, descobrir o grande mundo confuso e imprevisto da infância.

Fazíamos a primeira refeição na sala de baixo, com janelas gradeadas que davam para a rua. O velho Sampaio, pai de Aparício, lá na frente, do outro lado da calçada, abria as portas da loja, monologando sob os bigodões retorcidos. Seu Rafael ia esperar o bondinho de burro na esquina. Criadas e donas de casa batiam papo, de vassoura em punho e, depois de varrer o lajedo grosseiro, recolhiam a lata do lixo. Com o sol ainda baixo, sombras compridas atravessavam a rua poeirenta, cheia de pedras e buracos, onde as rodas e cascos deixavam marcas misturadas de sulcos e ferraduras.

Ninguém falava então em Cristóvão Colombo, rua da floresta, diziam todos, e que nome sugestivo, acenando à imaginação com uma espessura verde e fresca, incompatível com as casas e as calçadas, mas, por isso mesmo, ainda mais impregnada de misterioso encanto.

Por ali passavam as coisas surpreendentes do dia-a-dia, as carroças do lixeiro, do padeiro e do leiteiro, e s que tomavam o rumo da praça, carregando aos poucos a terra do barranco.

O grande sucesso cabia sempre aos carroções dos cervejeiros, com suas lindas parelhas de mulas gordas, principalmente quando transportavam Alsina ou gasosa em caixas quadriculadas. Ondulavam ao trote largo as ancas lisas, batiam no chão duro os cascos finos, tudo num ritmo empolgante, que o carroceiro incitava com uns ruídos de beiço, logo imitados pelo Rico, meu irmão, nos nossos brinquedos.

Só a imaginação poderá reproduzir o verde vivo daqueles campos de cevada que havia então na floresta, verde realçado violentamente pelo tijolo sem reboco das fábricas de cerveja. A chaminé foi a nossa primeira rima:

“A chaminé do Bopp
fabrica chope.
A chaminé do Rita
Que nunca apita.
A chaminé do Sassa
Que faz fumaça…”

Vejo tudo como se fosse hoje. O primeiro bonde elétrico parou em frente da nossa casa, como um brinquedo para gente grande. O monstro! Era uma engenhoca maravilhosa, que deslizava sobre os trilhos, sem casco de burro, ligada ao fio por uma alavanca de carretilha; na tabuleta vermelha ressaltava um F branco; os passageiros iam tão emproados…

– Olha o bonde sem burro!

E a gurizada, num berreiro de festa; – Óia o bonde eletro, óia ele!

Bibliografia

Correio da Manhã 26 de agosto de 1945

O OLHAR PROUSTIANO DE AUGUSTO MEYER: MEMÓRIA COMO REINVENÇÃO
Paulo Bungart Neto

 

CC100 no Distrito Criativo

Economia Criativa

logoNa próxima terça-feira dia 18 de fevereiro, será o lançamento do multiespaço Cristovão Colombo 100, ou CC100, que vem trazer mais qualidade ao Distrito Criativo de Porto Alegre, como participante do projeto, que reúne atualmente cerca de 50 artistas, profissionais e empreendedores em Economia Criativa, do Conhecimento e da Experiência, em uma região do Floresta, próxima ao Centro Histórico, Independência e Moinhos de Vento (ver mapa).

CC100 está praticamente na intersecção do Centro Histórico e dos bairros Floresta e Independência, não distante do bairro Moinhos de Vento e tem desde o seu lançamento uma proposta ligada a Economia Criativa.

Veja abaixo as informações que recebemos sobre a proposta, o prédio e o evento de lançamento no próximo dia 18. O Distrito C estará presente no lançamento, com seus participantes, e convida também todos aqueles que desejam e trabalham pelo desenvolvimento da Economia Criativa em Porto Alegre e no Estado.

mapinhafinal

Clique para ampliar.

Curta a página no Facebook

Como o prédio será usado

Prédio comercial com salas e lojas para locação. O CC100 é um multiespaço, um lugar plural para empresários, profissionais da economia criativa e empreendedores que buscam alcançar algo fora da curva. É o palco onde essas pessoas criam, projetam e realizam excelentes negócios com propósito e criatividade, o que traz ainda mais felicidade ao trabalho.

CC100 - Corte_lateral 2

CC100 – Corte lateral (clique para ampliar)

cc_100-01

A história do prédio

Desde o final da década de 20 , o prédio localizado na Cristóvão Colombo, 100, foi um lugar de arte e cultura. O local, uma das muitas construções que compõem o patrimônio arquitetônico da capital gaúcha, abrigou o Atelier Victoria, espaço de trabalho de Frida Freudenfeld, que possivelmente foi a primeira fotógrafa profissional do Rio Grande do Sul, de acordo com registros do período.

fachadaAnos mais tarde, o proprietário seguinte uniu a casa a outro edifício, que se comunicava com a Rua Alberto Bins, ladeados por uma passagem. Em 2011 o prédio passou por um extenso e detalhado processo de restauração externa e modernização interna, trazendo um espaço que se propõe a unir o passado e o futuro. Por essas características, alinhadas à sua proposta de reconstrução, visa ser um espaço plenamente inserido no movimento de recuperação disposto a devolver ao Distrito Criativo e, em especial, ao bairro Floresta e seus arredores, o dinamismo urbano que caracterizou o local em anos anteriores, respeitando seu vasto e relevante patrimônio arquitetônico, bem como seus moradores e usuários.

cc_100-02Com sua ocupação e utilização, o CC100 caracteriza-se como um vetor de transformação para o bairro, buscando a valorização do entorno, de modo a proporcionar cotidiano cultural pulsante para Porto Alegre. A proposta agrega o potencial transformador da economia criativa  – segmento consagrado, em muitos centros urbanos – a incorporar o valor histórico, cultural e arquitetônico circundante em seus processos cotidianos.

Um espaço multiuso, destinado à realização de atividades empresariais diversas, tendo o ambiente arquitetônico como um referencial de integração, estimulando as parcerias e eventuais realizações conjuntas. Para isso, conta com amplos espaços internos, totalmente voltados a atender à necessidade de espaço e funcionalidade dos empreendimentos atuais. Abaixo, ampla sala com janelas para a R. Alberto Bins.

salao

Evento de abertura

Teremos um evento de abertura do espaço para locação. Até a locação total do prédio teremos eventos que podem ser agendados no local, após a locação total, teremos um condomínio de empresa que juntas decidirão as ações culturais de manutenção do local. No dia 18 de fevereiro de 2014 o prédio histórico na Cristovão Colombo 100 abrirá as portas para um fim de tarde com convidados especiais. Neste dia teremos a oportunidade de acompanhar um live painting com os artistas Cusco Rebel e Seilá PAX ao som da Marmota Jazz. O espaço multiuso, com salas para aluguel, busca promover a essência criativa do Distrito C de Porto Alegre através de um período voltado a visitações e intervenções culturais.

cartazcartazevento

Inicio do live painting com os artistas Cusco Rebel e Seilá PAX

3 45

Maiores esclarecimentos, entrar em contato com:
Auber Césaro Santini de Oliveira
Fone: 51 32313300 – 9978 0602
auber@awobr.com.br
http://www.cc100.com.br

Matéria sobre o Distrito Criativo no ZH Moinhos

Economia Criativa, Economia da Experiência, Economia do Conhecimento

No dia 3 de fevereiro de 2014, vários participantes do Distrito C fizeram uma primeira reunião geral na Bolsa de Arte, onde foram tiradas fotos do grupo para a matéria  C de Criatividade e de Cidadania do Caderno ZH Moinhos, do dia 6 de fevereiro de 2014. Foi também uma oportunidade para uma troca informal de ideias.
Agradecemos a Laura Schenkel e Matheus Beck do ZH Moinhos e ao fotógrafo Ricardo Duarte de ZH.

capa corte iconeVeja aqui a versão impressa da matéria completa de ZH Moinhos sobre o Distrito Criativo

Obs.: Apenas na versão impressa parece que o Distrito C atua nos bairros Moinhos de Vento, Floresta e Independência. O projeto, no entanto, não se define pelos limites de bairros, é um projeto social e acompanha uma distribuição real, contínua, não fragmentada, de vários artistas e empreendedores de Economia Criativa, do Conhecimento e da Experiência, que se concentram principalmente em uma parte do bairro Floresta (veja mapa), mas que pode se estender um pouco por áreas bem próximas, principalmente do bairro Independência e, eventualmente, dos bairros Moinhos de Vento, São Geraldo, e mesmo do Centro Histórico, embora não façam parte do 4º Distrito.

Materia sobre Distrito Criativo no blog ZH Moinhos iconeVeja aqui a versão digital (com outras fotos) no blog do ZH Moinhos (wp.clicrbs.com.br/zhmoinhos) sobre o Distrito Criativo.

.

 

Abaixo, algumas fotos da confraternização antes da sessão de fotos para o ZH Moinhos. Identificações da esquerda para a direita.

Distrito Criativo na Bolsa de Arte

Carlos Augusto Alves, dono do Porto Alegre Hostel Boutique, Sílvio, representando o Espaço LER, Caroline Hädrich, do Noventamil, Marga Pasquali, dona da Bolsa de Arte, Mariana Wertheimer, artista plástica, Mario Teichmann, sócio da Ciranda dos Ritmos, Elizabeth Schmidt, dona da Garimpo Móveis & Objetos de Arte, Rejane Poeta, artista plástica e dona do Cix Bar Café, Rogério Pessôa, artista plástico, Cristovão e Carmen Andreola, donos da La Casa de Bernarda Alba – Mobiília de época e objetos de decoração, Mario Melo, sócio da Clemente Design, Lucas Stray, dono do Atelier Stray arte & design, e Luke Faro, sócio da Tamborim Escola de Bateria.

Distrito Criativo na Bolsa de Arte

Mariana Wertheimer, artista plástica, restauradora, Elizabeth Schmidt, da Garimpo Móveis e objetos de arte, e Marga Pasquali, da Bolsa de Arte

Distrito Criativo na Bolsa de Arte

Cristovão e Carmen Andreola, donos da La Casa de Bernarda Alba – Mobiília de época e objetos de decoração, Mario Melo, sócio da Clemente Design, Lucas Stray, dono do Atelier Stray arte & design, e Luke Faro, sócio da Tamborim Escola de Bateria.

Distrito Criativo na Bolsa de Arte

Carlos Augusto Alves, dono do Porto Alegre Hostel Boutique, Caroline Hädrich, do Noventamil, Mario Teichmann e Simone Souza, sócios da Ciranda dos Ritmos, Rejane Poeta, artista plástica e dona do Cix Bar Café, e Rogério Pessôa, artista plástico.

Distrito Criativo na Bolsa de Arte

Rogério Pessôa, artista plástico, Sílvio, representando o Espaço LER, Mauro Martins, sócio do Antiquário Visconde, Mario Teichmann e Simone Souza, sócios da Ciranda dos Ritmos, Carmen Andreola, sócia da La Casa de Bernarda Alba – Mobiília de época e objetos de decoração, Rejane Poeta, artista plástica e dona do Cix Bar Café,  Elizabeth Schmidt , dona da Garimpo Móveis & Objetos de Arte. e Mariana Wertheimer.

Distrito Criativo na Bolsa de Arte

André Durante, diretor executivo da STAR Produtora, Lucas Stray, dono do Atelier Stray arte & design, e Luke Faro, sócio da Tamborim Escola de Bateria.

Fotos: Jorge Piqué