Alagamentos, um problema sério do 4º Distrito

Economia Criativa

HISTÓRICO

Desde o início do Distrito C, em 2013, constatamos os alagamentos constantes na região, justamente por isso, fizemos um Google Map, com os pontos de alagamento no bairro Floresta. Cada ponto é clicável e se pode visualizar fotos ou vídeos de alagamentos com suas datas em cada ponto específico.

Alagamentos Floresta

Mapa de alagamentos no bairro Floresta. Clique para visualizar.

Em março de 2014 fizemos uma reunião sobre isso no Maria Rita Caminhos Culturais. Veja aqui mais sobre essa reunião.

Em dezembro de 2015,  enviamos um documento para a Prefeitura com os dados sobre alagamentos e com outras prioridades urbanas do Distrito C. A ideia era que cada um colocasse problemas concretos, bem pontuais, que poderiam ser resolvidos pela Prefeitura.

Nesta época, o segundo semestre de 2015,  a Prefeitura começou a divulgar os seus planos para o 4º Distrito, após uma viagem oficial a Barcelona, mas mesmo assim praticamente nada foi realizado nos anos seguintes, e os alagamentos continuam a prejudicar moradores e empreendedores.

O problema dos alagamentos tem várias causas:

1. É originalmente uma região de banhado.  como ainda é hoje em dia a região das ilhas, do outro lado do Guaíba.
2. O problema se agravou na década de 40, com a abertura da Avenida Farrapos, que criou uma espécie de dique que retém as águas que descem do Moinhos quando chove.
3. O crescente asfaltamento das ruas que descem do Moinhos de Vento diminuiu a retenção natural das águas que vem das partes altas, quando chove.
Com o antigo calçamento de paralelepípedo uma parte das águas das chuvas era absorvida antes de se acumular no bairro Floresta.
4. Foram feitas obras para evitar o alagamento da Goethe no Parque Moinho de Ventos (Conduto Álvaro Chaves-Goethe), concluído em 2008,  e a partir de então os moradores perceberam que essa região ao longo da Farrapos passou a alagar com menos de 5 minutos de chuva, o que antigamente não era nessa
proporção.

Muitas vezes se minimiza o problema afirmando que quando o volume de chuvas é muito grande, especialmente no final ou início de cada ano (novembro-março), o alagamento se forma muito rapidamente, mas é escoado também rapidamente.
Este argumento, no entanto, esquece que se o alagamento invade os estabelecimentos do Distrito C, como estúdios, galerias, de arte, lojas, antiquários, causa danos muitas vezes irreparáveis, além de todo o transtorno da limpeza necessária e a interrupção das atividades.

Tudo isso implica em perdas econômicas dos empreendedores na região, desestimula a continuidade dos negócios e dificulta a atração de novos empreendedores, seja de Economia Criativa, do Conhecimento ou da Experiência, que já tem suas dificuldades próprias e não precisariam se preocupar com um problema que é competência da administração pública.

Um alagamento, mesmo de curta duração, é muito nocivo aos negócios do Distrito C e a Prefeitura precisa mostrar o que está fazendo para pelo menos minimizar todos esses transtornos.

Aqui algumas fotos de alagamentos no Distrito C, registrados pelos participantes.

14 de março de 2012
Local: R. São Carlos, em frente a Praça Florida.

23 de outubro de 2013
Local: R. São Carlos, em frente a Praça Florida e Escola Municipal Meu Amiguinho.

11 de novembro de 2013
Local: Praça Florida, onde se localiza a escola municipal Meu Amiguinho.

25 de fevereiro de 2014
Local: R. São Carlos na altura da Praça Florida, onde estão a escolinha Meu Amiguinho e o Colégio Batista.

Alagamentos persistem 24hs depois da chuva forte do dia 25 de fevereiro de 2014.

Local: R. Emancipação

Local: Esquina da Av. Farrapos com R. Hoffmann

Local: Praça Florida

24 de fevereiro de 2015
Local: Esquina da R. São Carlos com Sete de Abril.

7 de dezembro de 2017
Local: Praça Florida
Nada mudou ….

 

Anúncios

Visita da Arquitetura-UFRGS ao Distrito C (1º Sem 2017)

Economia Criativa, Patrimônio Histórico

A professora Ana Elísia da Costa, do curso de Arquitetura/UFRGS, está desenvolvendo com seus alunos um projeto no entorno da Praça Florida e Escola Municipal de Ensino Infantil Meu Amiguinho no primeiro semestre de 2017. Como forma de aproximá-los da área de intervenção eles fizeram uma visita ao Distrito C, de bicicleta, no sábado, dia 31 de março de 2017, pela tarde.
Visitamos locais do Distrito C e patrimônio histórico, com a ajuda do arquiteto Lucas Volpatto, do Studio 1 Arquitetura, participante do Distrito C.
Fotos: Lucas Volpatto e Ana Elísia Costa.
Conheça mais sobre a Praça Florida no site da UrbsNova.

CC100

Cervejaria Bopp-Shopping Total

Tempero Rosa.

Visita da Arquitetura-UFRGS ao Distrito C (2º Sem 2017)

Economia Criativa, Patrimônio Histórico

A professora Ana Elísia da Costa, do curso de Arquitetura/UFRGS, está desenvolvendo com seus alunos um projeto no entorno da Praça Florida e Escola Municipal de Ensino Infantil Meu Amiguinho, neste semestre. Como forma de aproximá-los da área de intervenção eles fizeram uma visita ao Distrito C, de bicicleta, no sábado, dia 2 de setembro de 2017, pela manhã.
Visitamos locais do Distrito C e patrimônio histórico, com a ajuda do arquiteto Lucas Volpatto, do Studio 1 Arquitetura, participante do Distrito C.
Fotos: Jorge Piqué e Ana Elísia Costa.
Conheça mais sobre a Praça Florida no site da UrbsNova.

Marquise 51

Cervejaria Bopp-Shopping Total

Residência Wiedersphan

Laboratório Geyer

Porto Alegre Hostel Boutique

Praça Florida

Projeto Tampart

Vila Velô

Moinho Germani.

Kurupi | Preza & Xadalu

Economia Criativa

Preza & Xadalu apresentam o Projeto Kurupi.

Apresentamos o Kurupi: Projeto da parceria Preza&Xadalu, busca transformar, por meio de uma ação de envolve Design, Arte e Responsabilidade Social, o espaço e a vida dos indígenas da Aldeia Tekoá Pindó Poty. 

O projeto apresenta um kit produzido pela parceria Preza&Xadalu, composto por um óculos exclusivo Preza, feito com matéria-prima revisitada, uma arte numerada do artista Dione Martins,e um artesanato em madeira da Jaguaretê (nome indígena para onça), entalhada à mão pelos índios da Aldeia Pindó Poty. O valor arrecadado com a comercialização dos kits será revertido em prol da Aldeia, oportunizando a doação de cestas básicas e o plantio de mudas da árvore Pau Leiteiro (chamada de Kurupi em Guarani), necessária para a produção da Jaguaterê e dos demais animais silvestres lendários na cultura Guarani, principais fontes de renda para a Aldeia.

O projeto não tem fins lucrativos. O artesanato será comprado e terá seu valor repassado integralmente, assim como os custos de produção e despesas administrativas. Buscamos uma transformação social, desenvolvendo um projeto sustentável e colaborativo com o objetivo de deixar um legado perene para essa e demais aldeias.

Xadalu em Barcelona

Economia Criativa

Xadalu é um dos mais importantes artistas de rua do RS, tem trabalhos seus (stickers) nas ruas de mais de 60 países, o mais conhecido deles é o famoso indiozinho.
Na foto abaixo, conversa com visitantes do United Cities and Local Government ao Distrito C.
espaçopublico_cidadania_5distrito-22     indiozinho

Ele participa com o seu Atelier Serigráfico, no Distrito C, um espaço onde é desenvolvida a prática de serigrafia ou silkscreen, em parceria com a Serigrafia Gaúcha.

Conheça mais o trabalho de Xadalu neste vídeo:

Fábrica de Creación La Escocesa em Barcelona

Em 2015, UrbsNova esteve em Barcelona e fez diversos contatos, para o Distrito C, com as “Fábricas de Creación“, geralmente grandes espaços industriais abandonados, que hoje acolhem uma série de atividades artísticas

Na fábrica La Escocesa, acontece anualmente um importante festival internacional de arte mural, que em 2015 teve a sua quarta edição. A curadoria é da artista de rua japonesa Mina Hamada, que vive em Barcelona. Toda a superfície de La Escocesa é hoje um grande espaço expositivo para a arte.

20151022_173720

Fundos de La Escocesa. Foto Jorge Piqué.

mina hamada_small oasis Process2 (2)

Mina Hamada, curadora do Festival de Arte Mural em La Escocesa.

Xadalu em La Escocesa

Como parte da linha de ação internacional do Distrito C,  Mina Hamada recebeu dois stickers Indiozinho, de Xadalu, que hoje fazem parte do acervo de La Escocesa.

Xadalu2

Xadalu3

Xadalu8

indiozinho

Veja outras ações internacionais do Distrito C

Reunião Segurança no Território

Economia do Conhecimento, Organização Interna, Turismo

No dia 17 de março de 2016, na Padaria e Confeitaria Dalmás realizamos mais uma reunião interna. Foi retomado o tema de como aumentar o conhecimento do território, como compartilhar mais informações entre os participantes e como intervir com ações pontuais para que o nível de segurança seja o mais elevado, tanto para os locais participantes, como para os seus funcionários.

O Distrito C acha importante também o intercâmbio de informações com o 9º Batalhão da BPM e suas Companhias, e com a Polícia Civil, nos bairros onde estão os participantes, basicamente Floresta, Independência e Moinhos de Vento. Um modelo de policiamento comunitário é o mais adequado para a região.

A política de longo prazo do Distrito C continua sendo a ocupação do espaço público, nas ruas, praças, através de eventos e ações colaborativas, desenvolvidas pelo Distrito C, como o Walking Gallery Porto Alegre – Barcelona (foto abaixo), e, principalmente, pelos eventos desenvolvidos por seus participantes, como forma de criar e manter um espaço de convívio seguro, acolhedor e diverso.

Padaria Dalmás. Foto Claudia Magnus Chaves.

Evento Walking Gallery Porto Alegre – Barcelona (2014). Padaria Dalmás. Foto Claudia Magnus Chaves.

Participaram desta reunião:
Gisele Dalmás – Padaria e Confeitaria Dalmás
Iriz Medeiros/Fabiano Duarte Denardin – Galeria Hipotética
Paulo Ricardo Tomasini – Jornal Floresta
Giovana Filippini – Hotel Íbis Styles
André Gomes – Naida Gomes Artes e Antiguidades
Jorge Piqué – UrbsNova / Distrito C

Walking Gallery Porto Alegre – Barcelona no Distrito C

Barcelona, Economia Criativa

No dia 22 de março de 2014, um sábado, houve uma edição especial do Walking Gallery no Distrito Criativo, em Porto Alegre, e depois em Barcelona.

O objetivo desse Walking Gallery, como propusemos a Jose Puig, que criou o movimento em 2009, em Barcelona, e depois à Ana Colhado, do Walking Gallery Brasil, era ir além da exposição de obras de arte na rua, mas ter um efeito social sobre uma área esquecida da cidade.

Como disse Ana Colhado, “No nosso país a noção de público e privado é ainda nebulosa para muitos. Por isso, o movimento aqui incluiu uma outra proposta: conscientizar a população sobre a importância de melhorar a qualidade de vida nas cidades brasileiras por meio da ocupação do espaço público com arte”. O Walking Gallery Porto Alegre – Barcelona foi organizado pelo Distrito C (UrbsNova) e conduzido por Mona Carvalho, do Walking Gallery RS.

Para saber o que é o Walking Gallery e detalhes da organização
do evento em Porto Alegre Barcelona, visite este post.

Nossa proposta é alavancar esse território, promover o desenvolvimento econômico e a melhoria urbana. E este Walking Gallery em Porto Alegre viria se somar a essa ação de transformação de um território por meio da arte.

Por outro lado, é uma ação de internacionalização, conectando por fotos e vídeos, artistas em Porto Alegre e Barcelona.
Veja outras ações de internacionalização do Distrito C

Roteiro pelo Distrito C

roteiro

Vídeo oficial do Walking Gallery no Distrito C
Realização Leandro Foscarini

Fotos do Walking Gallery em Porto Alegre

A concentração dos artistas em Porto Alegre aconteceu na R. Visconde de Rio Branco, na Galeria Bolsa de Arte e Celare Armazém. Essa rua foi escolhida como ponto de partida justamente por ser uma das principais do Distrito C, com muitos participantes.

JorgePique_Janice Fagundes da Rosa

Galeria Bolsa de Arte. Foto Jorge Piqué

Foto Jane Rosana Cassol

Celare Armazém. Foto Jane Rosana Cassol

O Núcleo do Distrito C em torno da R. Visconde de Rio Branco na época era constituído por Galeria Bolsa de Arte, Celare ArmazémLa Casa de Bernarda Alba Mobília de época e objetos de decoração. Temos o Studio Insonia e o Tempero Rosa. Ali ao lado está também o Cix Bar Café. Mais adiante temos o MC Gastronomia, e na R. Santa Rita a Padaria Dalmás.

Neusa Lehugeur_Celare3

Jorge Piqué (UrbsNova/Distrito C) e Mona Carvalho (Curadoria Independente/Walking Gallery), organizadores do evento. Foto Neusa Lehugeu.

 

Foto Kiran Federico Léon

Studio Insonia. Foto Kiran Federico Léon

Lucas Strey, do Atelier Strey. Foto Kiran Federico Léon.

Lucas Strey, do Atelier Strey. Foto Kiran Federico Léon.

 

Atravessamos a Av. Cristovão Colombo e todo o grupo se posicionou nas escadarias da Igreja São Pedro.

Igreja São Pedro. Foto Marília Flores

Igreja São Pedro. Foto Marília Flores

Descemos pela R. Conde de Porto Alegre, para nossa primeira parada na Padaria e Confeitaria Dalmás.

Padaria Dalmás. Foto Claudia Magnus Chaves.

Padaria Dalmás. Foto Claudia Magnus Chaves.

Barbara Bens e Moacir Chotguis. Foto Marília Flores.

Barbara Bens e Moacir Chotguis. Foto Marília Flores.

Subimos novamente para a Cristovão Colombo e entramos a direita, na R.Gomes, onde também se concentram vários antiquários, entre os quais a Loja Garimpo, que participa do Distrito C.

Loja Garimpo. Foto Kiran Federico Léon.

Loja Garimpo. Foto Kiran Federico Léon.

Loja Garimpo. Foto Marilia Flores.

Loja Garimpo. Foto Marilia Flores.

Fomos pela R. Emancipação até a Sete de Abril, passando pelo Moinho Germani, patrimônio histórico da região, que será recuperado.

Moinho Germani. Foto Jorge Piqué.

Moinho Germani. Foto Jorge Piqué.

Entramos na Av.  Farrapos, que no passado foi uma bela avenida, com muitos prédios em Art Dèco, mas hoje é uma via inóspita, árida, e foi intencional levarmos os artistas ali, pois estávamos levando arte para um dos locais mais difíceis em todo o trajeto, era importante lançar um olhar sobre as atuais condições  da avenida, e através da arte, ocupar esses locais que perderam a sua humanidade, para ser apenas um eixo para veículos motores, carros, caminhões e ônibus.

Av. Farrapos. Foto Marilia Flores.

Av. Farrapos. Foto Marilia Flores.

Encontramos na Farrapos a Praça Florida, que nos anos 20 a 50 foi um local ocupado pela população do bairro com várias atividades esportivas e associativas e que durante décadas viveu no abandono e hoje começa a ser recuperada para a população. A Praça Florida fica também ao lado da R. São Carlos, uma das principais ruas do Distrito C.

 

Praça Florida. Foto Jorge Piqué

Praça Florida. Foto Jorge Piqué

Praça Florida 1930

Praça Florida nos anos 30.

Entramos a seguir na R. Comendador Araújo, onde moram vários artistas, como Leo Ferlauto e  Mario de Ballenti, da Caixa do Elefante, que trouxe o seu convidado, Abelardo, para receber o Walking Gallery.

Mario de Balentti, Caixa do Elefante. Foto Jorge Piqué.

Mario de Ballentti, Caixa do Elefante. Foto Jorge Piqué.

Mario de Balentti, Caixa do Elefante. Foto Claudia Magnus Chaves.

Abelardo e Mario de Balentti, Caixa do Elefante. Foto Claudia Magnus Chaves.

Dali entramos novamente na Av. Cristovão Colombo, e fomos até a Gaspar Martins, entrando a direita e alcançando novamente a R. São Carlos, onde na esquina está o Porto Alegre Hostel Boutique, onde fizemos a segunda e última parada. O Hostel gentilmente ofereceu aos participantes bebidas e comidas.

POA Hostel Boutique. Foto Carlos Augusto Alves.

POA Hostel Boutique. Foto Carlos Augusto Alves.

POA Hostel Boutique. Foto Neusa Lehugeur.

POA Hostel Boutique. Foto Neusa Lehugeur.

Seguimos pela São Carlos até a Ramiro Barcelos, passando em frente a Igreja Santa Terezinha, que tem belos painéis do artista Aldo Locateli.

Igreja Santa Terezinha. Foto Jorge Piqué.

Igreja Santa Terezinha. Foto Jorge Piqué.

Em frente está o tradicional Na Brasa, ou NB Steak.

Churrascaria Na Brasa. Foto Jane Rosana Cassol.

Churrascaria Na Brasa. Foto Jane Rosana Cassol.

Dali fomos em direção ao ponto final, a Cantina Famiglia Facin, no Shopping Total.ao lado está a Cantina Famiglia Facin, que integra também o projeto Distrito C.

Cantina Famiglia Facin. Foto Claudia Magnus Chaves.

Cantina Famiglia Facin. Foto Claudia Magnus Chaves.

Cantina Famiglia Facin. Foto Auber Césaro.

Cantina Famiglia Facin. Foto Auber Césaro.

Cantina Famiglia Facin. Foto Auber Césaro.

Cantina Famiglia Facin. Foto Auber Césaro.

Cantina Famiglia Facin. Foto Claudia Magnus Chaves.

Cantina Famiglia Facin. Foto Claudia Magnus Chaves.

Cantina Famiglia Facin. Foto Marilia Flores.

Cantina Famiglia Facin. Foto Marilia Flores.

Fotos dos Walking Gallery em Barcelona

Quando terminamos a primeira parte do Distrito C em Porto Alegre, eram 16hs em Barcelona e começava a segunda parte deste Walking Gallery, que saiu da Praça Catalunha e desceu pelas Ramblas, que são locais emblemáticos da cidade.

59786_10152051184522155_1211496293_n

1017125_10152051181402155_521368687_n
1010000_10152051188837155_960358183_n
1157540_10152051190097155_6992610_n1236016_10152051182482155_493311010_n1236831_10152051181862155_1043516824_n1459145_10152051186847155_140039219_n1557528_10152051188562155_823393976_n1800438_10152051189197155_2007462539_n1920567_10152051184257155_119241902_n1958446_10152051185957155_1159920391_n1964930_10152051188272155_1409126275_n1975219_732875573411238_1385306251_n
1958094_10152051183502155_2061037596_n
1982284_733033903395405_672447307_n
10151437_10152051186707155_1587653775_nJorgeChampi_BarcelonaramonSort_4

Encontro Distrito C na Cantina Famiglia Facin (28/12/2015)

Economia Criativa

Mais um Encontro Distrito C foi realizado em 2015. Desta vez na Cantina Famiglia Facin, um dos participantes do Distrito C, um restaurante diferente, localizado nos subterrâneos da chaminé da antiga Cervejaria Continental, hoje pertencente ao Shopping Total.

Entrada entrada2

Endereço: http://www.famigliafacin.com.br

Os encontros são abertos, portanto, incluem amigos do projeto e qualquer pessoa que queira entrar em contato e conhecer mais o projeto e seus participantes. Podem convidar quem quiser.

O antepasto na Famiglia Facin é por quilo e está no valor de R$ 9,80 cada 100 gramas, pois são somente produtos importados. Os pratos do menu são bem mais em conta, variando de 30 a 50 reais.

Começou às 19hs, e oficialmente terminaria às 20:15, mas ficamos até as 23:30.

O local é muito especial , como podem ver pelas fotos  e o Rodrigo vai mostrar os subterrâneos para quem ainda não conhece.

mesas mesas1 tunel

A Cantina Famiglia Facin participa da nossa linha de inovação gastronômica no Distrito C e é um dos locais onde se pode provar a nossa caipirinha de butiá. O Rodrigo Facin, proprietário, vai oferecer caipirinha de butiá a preço bem camarada para quem for neste encontro.

caipirinha

Esse encontro foi também a nossa confraternização de final de ano.

Esse encontro também foi publicado no Meetup:
http://www.meetup.com/pt/Encontros-Distrito-C/events/227610169/

FOTOS DO ENCONTRO DISTRITO C

Estiveram presentes os seguintes participantes do Distrito C:
Lota Moncada;
Barbara Benz;
Moacir Chotguis;
Rodrigo Cury e Martina Seibel (Preza Óculos de Sol)
Viviane Bergmann (CasaEstúdio Interiores)
Jorge Piqué (UrbsNova/Distrito C)
André Venzon (André Venzon Atelier)
Altair Nobre (Revista Beer Art)
Estiveram presentes também os amigos do Distrito C. Luciana Marson Fonseca e Ilsa Solka.

4LotaMoncada 2LotaMoncada 3LotaMoncada  5LotaMoncada 7LotaMoncada

20151228_200815

Calendário 2016, com poemas de Lota Moncada.

20151228_200732

Famosos antipasti da Cantina Famiglia Facin.

20151228_195342 20151228_195359 20151228_195435 20151228_195438 20151228_195459 20151228_195554 20151228_195625 20151228_195716 20151228_212301 20151228_212336 caipirinha parcial

Centro de Apoio ao Distrito C – O Projeto

Economia Criativa, Economia da Experiência, Economia do Conhecimento

Bruna Teixeira de Oliveira apresentou como trabalho de conclusão de curso, em 2015, na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFRGS, o projeto CENTRO DE APOIO AO DISTRITO CRIATIVO. A orientação foi da professora Betina Tschiedel Martau.

O objetivo do prédio projetado é ser um centro de apoio, atendendo às  necessidades dos participantes do Distrito C, além de atrair a população em geral para a região, e ser um espaço para mais iniciativas de inovação social.

No projeto, o prédio está localizado em uma área de 3.106m², próxima à Av. Farrapos, na esquina da R. Com. Coruja, incluindo o início da R. São Carlos.localização

O Centro de Apoio teria 3.696m² de área construída e incluiria espaços para locação a preços reduzidos, uma praça central, com quiosques, que atuaria como um Centro de Visitantes, ateliers a serem disponibilizados para aulas e palestras, espaço expositivo, livraria, salas de cinema e um grande auditório, com 203 lugares.

Abaixo, vista geral do Centro de Apoio desde a esquina da R. Com. Coruja e R. São Carlos, mostrando os prédios, a praça central e os quiosques.
Clique na imagem para ampliar.

BT_CAM01_03

Abaixo, programa de utilização dos espaços no Centro de Apoio ao Distrito C.

Programa

Um resumo do projeto da arquiteta Bruna Teixeira de Oliveira está disponível neste documento, com o conceito, fotografias, mapas, plantas baixas, cortes e renders.

Abaixo algumas imagens do projeto, mostrando como seria o Centro de Apoio ao Distrito C, trazendo qualidade para essa região da cidade, que o Distrito C desde 2013 está desenvolvendo através da economia criativa, aliada às economias do conhecimento e da experiência.

Abaixo, fachada do prédio principal na Av. Farrapos.
2 3

Abaixo, praça central, que atuaria como um Centro de Visitantes, com locais para participantes no térreo do edifício principal e quiosques na praça.

4

Abaixo, escadaria de acesso aos dois edifícios.

5 6

Terraço do edifício do Auditório, com vista para a praça.7

Abaixo, vista interna do edifício principal.

8

Abaixo, salas para reuniões e coworking de economia criativa.9

Autoria do projeto
Bruna Teixeira de Oliveira

brunateixeira.arq@gmail.com

Josep Piqué fala sobre o Distrito Criativo

Barcelona, Economia Criativa, Economia do Conhecimento

No dia 14 de outubro de 2015, na Câmara Municipal de Porto Alegre, Josep  Piqué, que foi durante anos o responsável principal pelo Projeto 22@, em Barcelona, proferiu a palestra “Um novo modelo de cidade –  A experiência de Barcelona no Projeto @22” (notícia no site da CMPA).
Piqué foi de 2007 a 2012 CEO da empresa público-privada 22@Barcelona, uma sociedade que geria o planejamento urbano, infraestruturas e desenvolvimento econômico no Distrito de Inovação 22@.

561ee0e0594f19.24848311 561ee0ad9bd5e9.14913059
Fotos Ederson Nunes / CMPA.

A vinda de Piqué a Porto Alegre, trazido pela PUCRS, teve a função principal de inspirar o novo projeto para o 4º Distrito em Porto Alegre.

Um dia antes da Palestra, Piqué visitou alguns participantes do Distrito Criativo de Porto Alegre, conduzido pelo arq. Lucas Volpatto, do Studio1, também participante do Distrito C.

12179519_1077009145656865_1383163379_n(2)

Josep Piqué no Studio Q. Foto Lucas Volpatto.

Josep Piqué na Casa de Bernarda Alba.

Na Casa de Bernarda Alba. Foto Lucas Volpatto.

12165726_1073096009381512_1256152783_n

Na Galeria Bolsa de Arte. Foto Lucas Volpatto.

11997269_1073095816048198_984862139_n

No Estúdio Hybrido. Foto Lucas Volpatto.

No Vila Flores, com Lucas Volpatto, do Studio 1, que levou Piqué pelo Distrito C.

No Vila Flores, com Lucas Volpatto, do Studio 1, que levou Piqué pelo Distrito C. Foto Pablo Urquiza Chaves.

IMG_0387

No Ato Espelhado. Foto Pablo Urquiza Chaves.

Durante a palestra, o Distrito Criativo foi mencionado dentro de um contexto de valorização da cultura e da economia criativa em projetos territoriais de tecnologia e inovação.
Este arquivo mostra estes trechos de áudio, com algumas fotos ilustrativas.

Áudio completo da palestra, com discussão ao final (duração: 2 horas)
http://radio.camarapoa.rs.gov.br/publicas/1407

Leia também a entrevista de Josep Piqué à Zero-Hora.

Mais Informação sobre o Distrito Criativo de Porto Alegre:
https://distritocriativo.wordpress.com/

Mapa geral

O Distrito Criativo é um projeto de UrbsNova | Agência de Inovação Social:
http://urbsnova.wordpress.com/

Mais informação sobre as Fábricas de Criação de Barcelona:
https://distritocriativo.wordpress.com/2015/10/06/fabricascriativas-bcn/

Josep M. Piqué é atualmente:
– Presidente-executivo de La Salle Technova Barcelona
Vice-presidente de IASP – International Association of Science Parks and Areas of Innovation
Vice-presidente da Asociación de Parques Científicos y Tecnológicos de España (APTE)
Presidente da Red de Parques Científicos y Tecnológicos de Catalunya (XPCAT)
Presidente do Science and Technology Council (CTECNO)

Contato: jorgepique@gmail.com
Criação do material: UrbsNova Agência de Design Social
Fotografia de Josep Piqué na Câmara Municipal: Ederson Nunes / CMPA

Agradecimentos
UrbsNova agradece à Câmara Municipal de Porto Alegre pela realização da palestra  e e à Rádio Câmara pela divulgação pública do áudio integral, do qual selecionamos alguns trechos.
http://camarapoa.rs.gov.br/
http://radio.camarapoa.rs.gov.br
E agradecemos em especial a Josep Piqué por ter aceitado nosso convite para visitar o Distrito Criativo de Porto Alegre.