Ações

A partir das linhas de ação propostas, serão desenvolvidas várias ações específicas, de curto, médio e longo prazo. Colocaremos aqui as ações que podem ser desenvolvidas pelo próprio coletivo. Ações que são responsabilidade exclusiva da administração local serão encaminhadas diretamente aos órgãos competentes, de preferência em colaboração com as associações de moradores e comerciantes que já existem e atuam sobre uma região mais ampla.

Muitos dos objetivos de artistas e empreendedores de economia criativa, do conhecimento e da experiência do Distrito C são os mesmos de moradores e outros comerciantes, que moram e trabalham na região, por isso é fundamental a valorização dessas associações e um trabalho efetivo de parceria, especialmente no diálogo com a administração municipal.

1. Definição do design geral do D i s t r i t o C (cores, logos, mapas, vídeos, etc.)

Proposta: fazer reuniões em locais do Distrito C, com computadores e telão para discutir algumas ideias.

Star Produtora Distrito CriativoStar Produtora (21/02/2014)

 

 

 

 

 

Propostas concretas:

a) pintura dos postes: os próprios participantes vão escolher alguns postes para serem pintados.

b) desenhos nas calçadas: mapeamento das calçadas e proposta de projetos de design para algumas calçadas do Distrito C.

2. Poluição ambiental
A maioria dos participantes do D i s t r i t o C identifica a sujeira que se acumula nas ruas como um dos principais problemas. Existem muitos sacos de lixo acumulados nas esquinas, no chão, que dão uma péssima aparência. Além disso, temos a ação dos papeleiros, que abrem esses sacos e espalham o lixo pelas ruas.
Outro problema é a poluição sonora, especialmente na R. São Carlos, onde de madrugada passam carros com música em um nível insuportável.
Finalmente encontramos muitos pontos de alagamentos na área depois de uma chuva forte. Esse é um problema sério, que implica diretamente a administração pública.

Na questão da poluição, estamos fazendo uma parceria e trocando informações com a a Associação Refloresta.

Propostas: Acompanhar a nova legislação sobre poluição ambiental e sonora, para sabermos os nossos direitos. Pesquisar outras soluções para o lixo, fazer um Google Map para localizar pontos de acúmulo de lixo na região do Distrito C, consultar o DMLU, fazer contato com Ongs que desenvolvem um trabalho na Vila dos Papeleiros, fazer uma reunião com artistas, designers e arquitetos do coletivo e desenvolver um recipiente de lixo que resolva o problema e ainda tenha a função de ser um dos marcadores de identidade do D i s t r i t o C.
Fazer um
Google Map para os pontos críticos de alagamento e propor ações simbólicas em dias de alagamento para chamar a atenção da mídia e assim sensibilizar a administração municipal.

IMG_5505Primeira reunião sobre poluição: Terraço do edifício (16/12/2013)


 

 

20140311_191802Primeira reunião sobre alagamentos: Maria Rita Caminhos Culturais (10/03/2014)

3. Segurança pública
Houve relatos recentes de falta de segurança em alguns locais próximos ao Distrito Criativo. Uma área que quer  impulsionar a economia criativa e uma maior circulação de pessoas não pode transmitir uma sensação de insegurança para moradores, empreendedores e visitantes.

Propostas: Fazer um levantamento interno para descobrir qual a sensação de segurança do coletivo. Participar de reuniões da Associação Refloresta sobre segurança, pois eles já vêm desenvolvendo ações nesse sentido.  Seria interessante mapear os assaltos e furtos, para termos uma ideia mais real do que está acontecendo e passar essa informação às autoridades responsáveis. Procurar ferramentas digitais para esse mapeamento. Verificação da qualidade da iluminação pública e projetos de melhoria na iluminação privada, em parceria com a Associação Refloresta.

4. Patrimônio Ambiental

01No séc. XVII, antes da criação da cidade, toda essa região apresentava vegetação de banhado, devido a orla do Guaíba, misturada com matas ciliares e florestas, o que deu origem ao nome do bairro Floresta. Numa segunda etapa, a partir do Caminho Novo, atual Av. Voluntários da Pátria, muitas chácaras e sítios se instalaram na região, entre o núcleo urbano (atual Centro Histórico) e o Arraial Navegantes. Nesse terreno fértil foram plantadas muitas árvores frutíferas.

Na foto, as tipuanas que formam um túnel verde, na R. Gonçalo de Carvalho.

Atualmente o Bairro Floresta é um dos menos arborizados na cidade. No entanto, o território inicial onde se encontra o Distrito Criativo, aproximadamente entre as Avenidas Farrapos e Cristovão Colombo, ainda apresenta qualidade ambiental, com algumas ruas bem arborizadas, como a Gonçalo de Carvalho, a Pelotas, a São Carlos, e a Conde de Porto Alegre.É fundamental para o desenvolvimento do Distrito Criativo preservar essa qualidade ambiental, que sempre corre riscos, e desenvolver ações no sentido de ampliar a presença vegetal nas ruas e nas casas, tanto com plantas ornamentais, comestíveis e tradicionais, que fazem parte do passado da região. Na preservação ambiental se incluem a fauna ligada a essa vegetação e o ambiente urbano, especialmente os pássaros.
Todo esse conjunto natural, passado e presente, constitui o primeiro nível onde se assenta o Distrito Criativo e suas ações devem sempre ser um diálogo com o meio ambiente.

5. Patrimônio histórico

DSCF1963Sobre o ambiente natural anterior é que foi iniciada no séc. XIX a urbanização da região. Especialmente no séc. XX, a industrialização caracterizou toda essa região ao norte do atual Centro Histórico, com a construção de fábricas e casas para industriais, operários e comerciantes. Para o Distrito C, o patrimônio histórico edificado é um bem cultural inestimável e insubstituível para o bairro e para a cidade.

Existem obras de arquitetura de qualidade no entorno do Distrito Criativo e a própria arquitetura, ou seja, o design de um prédio, é parte da Economia Criativa. Além disso, os prédios mais importantes apresentam em suas fachadas e no seu interior obras de arte de diferentes tipos, como pinturas, murais, esculturas, vitrais, etc., que também são expressões artísticas ligadas à Economia Criativa.
Propostas: ações de estudo, divulgação e defesa desse patrimônio.
Visite a página do Patrimônio Histórico no Distrito Criativo

6. Turismo Criativo

DSCF1949

Passeio pelo Distrito C

Antes da criação do Distrito Criativo, realizamos duas “expedições”, como método para conhecer mais diretamente esses território pouco conhecido da cidade, tanto o seu patrimônio histórico, como as atividades de economia criativa, do conhecimento e da experiência, ali localizadas. O objetivo era levar o morador de Porto Alegre a entrar em contato direto com artistas e empreendedores, conhecer seu trabalho, seu cotidiano.

Esse método é muito semelhante à diferentes propostas de turismo criativo. O morador se torna um pouco turista em sua própria cidade. Porto Alegre desde 2013 vem desenvolvendo um programa de turismo criativo e por isso durante 2014 serão realizados eventos para moradores e turistas, em conjunto, de descoberta ou redescoberta dessa parte da cidade.

Propostas: passeios temático com orientação, a pé ou de bicicleta, para conhecer aspectos importantes da região, como seu patrimônio histórico, seu patrimônio ambiental e as atividades de economia criativa e da experiência, especialmente. Passeios fotográficos informais. Aulas em ateliers de artistas.  Roteiro de brechós e antiquários.

Ações

Passeio de bicicleta pelo Distrito C

Cervejaria Continental7. Memória

Várias ações serão realizadas com o objetivo de recuperar e divulgar a memória dos antigos moradores e trabalhadores neste espaço do bairro Floresta e áreas vizinhas de outros bairros.

.

Ações

Memória
Memória em três suportes: textos, fotografias e vídeos

7. Internacionalização e Interiorização

Propostas:1) conhecer mais outros territórios de artes, criatividade e tecnologia; 2) estabelecer relações a distância; 3) visitar e trazer visitantes para aumentar o conhecimento e a troca de experiências; 4) criar eventos de caráter internacional no Distrito C; 5) levar o Distrito Criativo e seus participantes a outras cidades do Rio Grande do Sul, como estímulo ao desenvolvimento de novos territórios de criação e inovação.
Documentos
Distritos de Inovação e Criação (Porto Alegre e Barcelona)
Ações
Walking Gallery Porto Alegre / Barcelona

Algumas ações de longo prazo

1. Atração de mais empresas da economia do conhecimento, como livrarias, faculdades e universidades, etc.;

2. Atração de empresas de tecnologia e comunicação (TICs);

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s